A bandeira tarifária para o mês de maio será amarela, com acréscimo de R$ 1,00 a cada 100 (kWh). Com o fim do período úmido e a menor incidência de chuvas, os reservatórios das hidrelétricas do Sudeste, Centro-Oeste e Nordeste estão com volumes mais baixos, o que resulta em gradual aumento do risco hidrológico (GSF) e do preço da energia elétrica de curto prazo (PLD), as duas variáveis que determinam a bandeira a ser acionada.

Criado pela ANEEL, o sistema de bandeiras tarifárias sinaliza o custo real da energia gerada, possibilitando aos consumidores o uso consciente da energia elétrica. O funcionamento das bandeiras tarifárias é simples: as cores verde, amarela ou vermelha (nos patamares 1 e 2) indicam se a energia custará mais ou menos em função das condições de geração de eletricidade.

Valores das bandeiras

  • Bandeira Tarifária Verde: condições favoráveis de geração
  • Bandeira Tarifária Amarela: R$ 1,00 a cada 100 (kWh)
  • Bandeira Tarifária Vermelha – Patamar 1: R$ 3,00 a cada 100 (kWh)
  • Bandeira Tarifária Vermelha – Patamar 2: R$ 5,00 a cada 100 (kWh)

Aprimoramento do sistema de bandeiras

Terça-feira (24/10/2017) foi aprovada, durante Reunião Pública da Diretoria, audiência pública para discutir a revisão da metodologia das bandeiras tarifárias e dos valores de suas faixas de acionamento. A proposta é de bandeira amarela no valor de R$ 1,00; bandeira vermelha no patamar 1, R$ 3,00; e vermelha no patamar 2, R$ 5,00, a cada 100 kWh consumidos e frações. As sugestões poderão ser enviadas até o dia 11/12/17, porém os valores já vigoram a partir da bandeira tarifária de novembro.

Fonte: Aneel.